Quem sou eu

Minha foto
"Acredito que viver a vida é aproveitar todos os momentos e transforma-los em experiência e sabedoria."

Curta nas redes

Tradutor

Amigos do Dihitt

Pinterest

Follow Me on Pinterest

Fashiolista

Top Blog

Arquivo do blog

Seguidores

Comentários

Tecnologia do Blogger.

Leve me com você


Google+ Badge

Visitantes recentes

Divulgando Parceiros

terça-feira, agosto 14, 2012

  

                     


            Não há mais nada a nos  derrotar mais do que   chegar 

a conclusão concordante deste destino. Olhavam um pr’outro,sentados  no sofá, a tentar entender o ocorrido em suas vidas:o ócio do amor. Ficaram a destilar em meio a batalhas
de palavras, ardores,lágrimas,gritos,silêncios,suspiros infinitos e uma difícil redenção.
     Dificilmente acreditavam que o ócio levara com ele o êxtase  ao se tocarem,o sorriso ao se entreolharem, a trajetória de seus corpos unidos em sintonia e não perceberam que a sintonia está no amor,com corpo,alma e espírito, e ao descuidar de um comprometeram todos os outros. 
     Seus corações estavam revirados,bagunçados, desajuizados,acelerados,violentados e sem culpa,pois não conseguiam senti-la,já que em meio ao ato derradeiro de suas vidas derramavam acusações um no outro tornando complicada a mais simples verdade.      Mas nunca aceitariam a simplicidade do sentimento,não naquele sofá,daquela sala,fruto de tanta loucura,tanta emoção,onde escravizaram suas vidas tentando entender o que acontecia pouco a pouco,onde congelavam a presença um do outro,onde buscaram por tantas vezes a aceitação um do outro,onde criaram tantas expectativas um do outro produzindo magoas,incapazes de controlar a dor.
    Aquele destino foi sendo traçado pouco a pouco,pois esqueceram do “ser” do outro,de que não existe o querer alguém, sem “ser de alguém,esqueceram que a liberdade de amar está em vivencia-lo sem escusas,renunciaram a tudo isso,deslocando sentimentos.
    E então naquele sofá,daquela sala,não aceitavam a simplicidade do sentimento,não reproduziam mais a lembrança da saudade que a distância um do outro se fizera tão presente naquela sala,do cheiro que ela produzia,da tristeza disfarçada em arrogância,em não dar conta,não ter vida,nem amor.
   Foram derrotados pela simplicidade destinada ao amor sem começo,sem meio,sem fim,sem solução e sem motivo. 


Link para essa postagem


0 comentários: